quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Relatório de Atividades Subprojeto: Educação Física - 2015

RELATÓRIO DE ATIVIDADES
SUBPROJETO: EDUCAÇÃO FÍSICA
2015
PARCIAL


UNIPLAC
COORDENADORA DE ÁREA: SADI RICARDO DA SILVA BASTOS


PROGRAMA DEB

LAGES, 2015

Relatório de Atividades Parcial 2015/1

1.  DADOS DA INSTITUIÇÃO

Nome e Sigla: Universidade do Planalto Catarinense – UNIPLAC/SC
Endereço: Avenida Castelo Branco n. 190, Bairro Universitário
Telefones: (049) 3251 1068 ou 3251 1004
CNPJ da Fundação UNIPLAC: 84953579/0001-05
Responsável legal da Fundação: Elusa de Fátima Camargo
Responsável legal da IES: Luiz Carlos Pfleger
           
2. DADOS DA EQUIPE

2.1) Coordenador Institucional
Coordenador institucional: Marileia Wolff Tubs

2.2) Coordenador de Área

Nome
Instituição
Função
Sadi Ricardo da Silva Bastos
UNIPLAC
Coordenador de Área

2.3) Professores da Educação Básica Participantes do Projeto

Nome
Instituição
Função
Angela Juvinete Ribeiro Rossi
EEB General José Pinto Sombra
Professora de Educação Física
Rose Meri Floriani
EEB General José Pinto Sombra
Professora do 1º ano do Ensino Fundamental


3. DADOS DO PROJETO

3.1)                      Dados Gerais
Título: Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência – PIBID

Duração do projeto
Data de Início: 14 de março de 2014
Data de Término: 14 de março de2018
Número de meses de vigência do projeto: 48 meses
Apresentação
Este trabalho refere-se ao Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), desenvolvido por bolsistas vinculados ao curso de Licenciatura em Educação Física da UNIPLAC, o qual foi/é realizado na Escola de Educação Básica General José Pinto Sombra, no período de março a julho de 2015. O principal objetivo do projeto era desenvolver o processo de intervenção na realidade educacional e oportunizar o contato das crianças com a educação musical de forma lúdica e prazerosa por meio de cantigas de roda, músicas folclóricas, cirandas, músicas infantis, e também por meio de músicas afro-brasileiras. As intervenções foram realizadas semanalmente em sete diferentes períodos, sendo que os vinte bolsistas foram distribuídos em sete grupos de trabalho. Para alcançarmos os objetivos deste projeto, recorremos às seguintes estratégias pedagógicas: apreciação musical de diferentes estilos, execução de peças por meio de canto, percussão corporal e alternativa, dinâmicas de improvisação, atividades de composição em grupo e individual. Foi perceptível a importância da vivência musical para as crianças e adolescentes, pois este contato facilitou o processo de memorização, socialização e aprendizagem para demais conteúdos escolares e o aprendizado de elementos da música, como timbre, altura, intensidade, percepção auditiva e percussão corporal, de uma forma lúdica. A intervenção no ensino fundamental oportunizou aos alunos envolvidos, o acesso à educação musical considerando a sua realidade, inserindo a música no ambiente escolar, desenvolvendo a percepção musical, a criatividade, o senso crítico, a participação e a liberdade de expressão. Oportunizou-se condições de aprendizagem apropriadas para o processo de socialização e do trabalho em grupo. Os principais autores que nortearam o trabalho foram Brito (2003), Loureiro (2003), Penna (2013) e documentos legais norteadores da atividade no país e no estado de Santa Catarina. O grupo publicou e apresentou artigos como relato desta experiência em eventos locais e nacionais, bem como ministrou Oficinas em diferentes espaços.

Palavras chave: Educação Física. Habilidades Motoras Básicas.


3.2)                      Licenciatura/subprojeto envolvido

Licenciatura (nome)
Número de alunos participantes
Licenciatura em Educação Física
20 bolsistas

3.3) Escola Participante

Nome da escola
IDEB
Número de alunos na escola
Número de alunos envolvidos no projeto
EEB General José Pinto Sombra
5º ano:
8ª ano:







4. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS E RESULTADOS ALCANÇADOS

Indicador da atividade
Objetivo da atividade
Descrição sucinta da atividade (inserir início e período de realização)
Resultados alcançados
1.
Planejamento

 Construir aulas dentro do olhar desenvolvimentista, tendo como objetivo a evolução dos alunos, através das atividades que estimularão as habilidades motoras básicas, sendo estas: locomoção, manipulação e equilíbrio (Fevereiro).
O planejamento é a base das aulas ministradas, a partir dele é que conseguimos fazer uma continua evolução  nos aspectos motores básicos da criança. Com este trabalho do planejar, é evidente a satisfação dos alunos no fazer as atividades, ao mesmo tempo os acadêmicos conseguem administrar as aulas, reconhecendo as dificuldades de cada aluno, com autonomia.
2.
Intervenção Escola/Campo
Conforme os encontros semanais, sendo no periodo de 4 horas, são desenvolvidos os planos de aula, baseando-se sempre na revisão bibliográfica de Go Tani e Gallahue, com a visão desenvolvimentista onde o grande grupo trabalha com a variação de níveis nas atividades possibilitando a evolução gradativa dos alunos
(De março à julho).
Concluimos com o grande grupo que está havendo a evolução dos alunos a cada aula, onde os níveis de dificuldade imposto aos alunos é gradativo, fazendo com que provoque o interesse do mesmo, visto que as crianças são imponentes diante dos desafios.
3.
Estudo
Este é realizado em toda sexta-feira, no período vespertino na Universidade, com a presença do professor coordenador, professor supervisor e acadêmicos. Nesses encontros organizamos a pauta da semana, nesta fica em destaque os seguintes tópicos :
·              Leitura da ata da reunião anterior.
·              Socialização da semana dos acadêmicos na escola.
·              Revisão bibliografica.
·              Planejamento das aulas.
·              Assuntos gerais.
(De março à julho).
Diante do estudo bibliográfico que é realizado, os acadêmicos passaram a compreender a abordagem trabalhada, visto que a maioria é dos semestres iniciais, aprenderam a importância desta no desenvolvimento da criança, e a partir disto, os planos de aula vem sendo elaborados, marcando sempre a repetição de movimentos, pois assim a criança assimila, se adapta e aprende o movimento corretamente.
4.
Pré- testes

 Com base no autor desenvolvimentista Gallahue, foram aplicados testes para saber o padrão motor em que se encontra a criança. Classificando da seguinte forma: padrão 1 – Inicial, padrão 2 – Elementar e padrão 3 – Maduro. 
 Destacando que os pré-testes foram realizados apenas no primeiro ano do ensino fundamental I, alunos dos turnos matutino e vespertino (Março).
Na conclusão do trabalho percebemos que as crianças estão periodicamente defazadas quanto as habilidades motoras básicas. Tiveram dificuldades ao realizar os testes, visto que a geração de hoje tem o acesso a tecnologia mais integro ao seu cotidiano, deixando de realizar atividades ao ar livre como por exemplo: passeios ao parque, contato com a natureza, brincadeiras tradicionais como pega-pega, esconde-esconde, amarelinha etc.
5.
Revitalização da quadra
Observando o espaço físico escolar, foi realizada uma reunião entre a direção da escola e professores de educação física, onde concluimos que a participação dos acadêmicos bolsistas do PIBID na revitalização da quadra seria efetiva, sendo assim realizando o trabalho tanto almejado com parceria entre APP,e funcionários, nesta unidade escolar (Março).
Na entrega da quadra a APP e toda a comunidade escolar ficaram adimirados com o resultado final. Como futuros profissionais da área observamos a importância de um ambiente de qualidade  para se trabalhar. A partir da iniciativa da unidade escolar, os bolsistas deram ínico à revitalização daquele espaço físico, hoje se tornou um ambiente agradável e utilizado por todos.
6.
Pousada de Páscoa

 Proporcionar a comunidade escolar a atividades relacionadas à Páscoa e a simbologia que a envolve, ressignificando-a e através disso, explicitar a caracterização da Universidade ensino, pesquisa e extensão (Abril).
Em parceria com os acadêmicos do 7º semestre, os acadêmicos bolsistas assumiram funções das quais incluiam: planejamento de todo o projeto participação efetiva nas brincadeiras desenvolvidas pelos mesmos, a o estar e cuidar das crianças presentes, houve a troca de afetividade entre as crianças, e entre todos os envolvidos, este projeto foi realizado com responsabilidade compromisso e dedicação.
7.
Tabulação

 Foram representados em gráficos, seguindo a classificação de Gallahue, os resultados dos pré-testes realizados com os alunos do primeiro ano do fundamental I (Maio).
 Com base nos gráficos, foi apontado que as crianças do primeiro ano do Ensino fundamental I, seguindo a classificação do autor, indica o estágio que apresentou dificuldade nos três níveis dentro da metodologia desenvolvimentista.
8.
Construção do material didático
 O grupo de bolsistas desenvolveu os materiais didáticos, com fontes alternativas e recicláveis, durante as horas de estudos, visto que é de suma importância para desenvolver o raciocínio cognitivo dos alunos. Foram construídos dominós, quebra-cabeças, jogos da memória gigante e pega-varetas (sendo estes de tamanho gigante), os quais os acadêmicos usam em suas aulas (Maio).
Toda equipe teve sua participação na construção do material didático, este confecçionado com o objetivo de trabalhar em dias chuvosos ou/e locais fechados, colocando em destaque o desenvolvimento motor e psicomotor da criança nestas atividades.
9.

Festa de São João

É no espaço escolar que as crianças têm a oportunidade de obter os mais diversos conhecimentos, cabe à educação física escolar trazer a vivência das danças folclóricas destacando a importância de trabalhar as diversidades culturais brasileiras. Na festa de São João tivemos a oportunidade de aprender, ensinar e construir a QUADRILHA, dança destaque nesta data festiva. (Junho)
  Foram adquiridas novas experiências, pois a dança propicía novos desafios, e estes foram vivenciados por etapas, o aprendizado de cada movimento, ritmo e espaço físico. Obtivemos a autosatisfação pelo trabalho realizado com os alunos, colocando em foco a importância que esta atividade tem nesta unidade escolar e comunidade, pois a dança em si é um espetáculo muito aguardado pelo público local.
10.
Reunião Professores Supervisores PIBID
   Nesta reunião esteve presente Mariléia Tubs, coordenadora institucional, a coordenadora da área de gestão de processos educacionais, Mara Shirley Rossi, e professores supervisores de várias unidades escolares. Dentro dos objetivos desta reunião estavam, obter o conhecimen to dos prefessores supervisores, organizar o evento que a uniplac estará recebendo no mês de Dezembro, nos dias 07/08 e 09 de 2015 For PIBID, e por último o artigo qu e será realizado por todos os bolsistas. Os assuntos abordados foram:

* Horario e pontualidade dos acadêmicos   bolsistas.
*Planejamento das aulas ministradas pelos academicos.
*Apontar dificuldades e conquistas do projeto.
*A importância do professor supervisor conhecer o perfil de cada acadêmico, para que ele possa mostrar as possibilidades de melhoras dentro do projeto, oferecendo a autonomia dentro das aulas ministradas pelo mesmo. (Junho)
  A significância desta reunião foi o contato com os demais profissionais de diversas áreas da licenciatura. Ficou em destaque que as dificuldades que encontramos em nosso cotidianos são semelhantes.  Desta forma, pela troca de experiências, ficou claro que o papel do professor supervisor é o responsavél pela preparação e iniciação a docência. Sendo assim possibilitando a vivência, a troca de experiência diária entre ambos.
11.
JIPS
 (Jogos Internos Pinto Sombra)
A prática esportiva como instrumento educacional visa o desenvolvimento integral das crianças, jovens e adolescentes, capacita o sujeito a lidar com suas necessidades, desejos e expectativas, bem como, com as necessidades, expectativas e desejos dos outros, de forma que o mesmo possa desenvolver as competências técnicas, sociais e comunicativas, essenciais para o seu processo de desenvolvimento individual e social. (Julho)
O campeonato obteve grande exito, tanto na troca de valores que o esporte propicia, quanto na cooperatividade das equipes entre si. Neste trabalho ficou em destaque a atividade em grupo, o respeito, o compromisso, e o lazer.
12.
Capacitação dos professores em Urubici SC

  O convite surgiu apartir da secretária da educação de Urubici, foi socializado as vivência daeducação infantil, a primeira parte teve uma caracterização teórica, através de slides, onde os acadêmicos explicarão a base do nosso projeto dentro da escola. Já na segunda parte, teve a parte prática, nesta foram aplicadas as
atividades realizadas na escola (Julho).
Obteve a participação efetiva dos participantes, a troca de experiencias foi positiva para ambos, o evento de uma forma geral foi um sucesso, se destancando o trabalho dos acadêmicos.
13.
Ampliação do subprojeto aos anos do Ensino Fundamental II
Conforme o trabalho realizado no primeiro semestre, foi observado a importância do avanço do subprojeto sendo este para o ensino fundamental II. O planejamento das habilidades motoras complexas foi dividido por modalidades esportivas tais como: Voleibol, futsal, handebol, tênis, tênis de mesa, ginástica, dança e lutas.
 (De Julho à Dezembro).
Os acadêmicos fizeram seu planejamento dentro do estudo bibliográfico, de acordo com a idade maturacional de cada ano. Obtivemos o sucesso esperado de cada aula, visto que algumas dessas modalidades não são trabalhadas na escola, podemos oportunizar a vivência corporal as crianças, e incentivar a inserção de novos conteúdos dentro das aulas de educação física. Cada acadêmico ficou responsável por um conteúdo, e trabalhou dentro desse ressignificando-o para si e para os alunos, tornado aprazível a sua prática.
14.
Blog
O grande grupo decidiu que deveríamos criar um Blog para divulgar os trabalhos que estão sendo feitos, pelos acadêmicos bolsistas. O blog encontra-se neste endereço: http://pibidlagessc.blogspot.com.br/
(Agosto)
Com a criação do blog ficou mais prático a disseminação da informação do que é o PIBID e a importância do que fazemos dentro deste projeto. Utilizar os veículos de informação a nosso favor, fez com que a divulgação do subprojeto fosse mais ampla.
15.
Desfile Cívico

O desfile cívico é realizado todos os anos com intuito de resgatar valores esquecidos, defender o amor à pátria e o orgulho pela sua escola. Foi com essa meta que o grupo de acadêmicos se propôs a participar do desfile de sete de Setembro, alguns auxiliando os trabalhos da banda da escola, e os demais foram convidados a desfilar junto com os professores e alunos.

(Setembro)
Os acadêmicos construíram um laço de afetividade e aproximação com os aluno neste evento, além de resgatar os princípios morais e físicos, a questão do prazer em representar a sua escola, ficou evidente no rosto de cada aluno. A alegria com a qual os bolsistas que ficaram responsáveis pela banda, exerceram seu trabalho, foi fantástica. Não esquecendo também de parabenizar os alunos que foram responsáveis quanto aos horários de ensaio, e quanto à persistência em aprender a tocar os instrumentos.
16.
Visita ao SENAI
Proporcionar o conhecimento dos cursos técnicos que o SENAI oferece, do 9º ao 3º ano do ensino médio. Os acadêmicos foram convidados a acompanhar as turmas durante a visita.
(Setembro)
Os alunos visitaram os laboratórios conheceram a estrutura da escola técnica. Através do incentivo primário da escola, alguns alunos se motivaram a procurar e entender o funcionamento dos cursos oferecidos pela instituição SENAI.  Destacando que alunos da escola estão frequentando vários cursos diferenciados.
17.
Devolutiva
 O objetivo do grupo com esta apresentação foi a de mostrar aos docentes e educandos todos os trabalhos realizados pelos pibidianos no ano de 2015. Todos os trabalhos aqui citados fizeram parte desta devolutiva.
(Setembro)
 A apresentação atingiu as expectativas, foi evidente a satisfação do corpo docente com os auxílios nos trabalhos da escola, e a revitalização de espaços dos quais todos utilizam. E tudo que o grupo realizou agregou em conhecimento a prática docente dos mesmos.
18.
Halloween
É uma celebração na qual comemora-se o dia das bruxas e assombrações, onde as crianças se caracterizam e saem pedir doces.
(Outubro)
Através de uma competição de fantasias, houve a entrega de premiação, esta foi brinquedos. O destaque foi o desfile de todos os envolvidos. As crianças tiveram momentos de brincadeiras, dança, músicas, e um coquetel de encerramento.
19.
     Semana da Criança
A semana da criança foi realizada na Escola de Educação Básica General José Pinto Sombra pelos acadêmicos  pibidianos em conjunto com os professores da instituição referida. A semana foi planejada no mês anterior pelos bolsistas com o intuito de proporcionar novas vivencias as crianças e também aproxima-las do convívio escolar através da ludicidade e assim aprimorando o desenvolvimento cognitivo, motor, social e afetivo dos mesmos.
(Outubro)
A semana da criança proporcionou aos alunos uma semana de muita diversão, ressaltando a importância de respeitar as fases do desenvolvimento e amadurecimento através de brincadeiras que os levassem a infância. Desse modo, pudemos ter uma semana de muita alegria e aprendizado contínuo, sendo alcançados os objetivos traçados no nosso planejamento mensal.
20.
Amostra Científica
A mostra científica foi realizada na Universidade do Planalto Catarinense – UNIPLAC. No evento os acadêmicos bolsistas apresentaram os trabalhos desenvolvidos na escola durante o período do programa PIBID. As atividades a serem apresentadas foram planejadas pelos pibidianos no decorrer do ano letivo com o intuito de apresentar aos demais todo o processo desenvolvido na docência.
(Outubro)
A apresentação dos bolsistas na mostra foi muito significativa para as áreas da licenciatura e no geral, transmitido aos ouvintes um olhar com futuro positivo para a educação. Pudemos repassar todo nosso trabalho, conhecimento desenvolvido e amadurecido durante o ano letivo de 2015, e desse modo abrir novos caminhos e olhares para o desenvolvimento integral da criança.
21.
Pós- testes

Com base no autor desenvolvimentista Gallahue, foram aplicados testes para saber o padrão motor em que se encontra a criança. Classificando da seguinte forma: padrão 1 – Inicial, padrão 2 – Elementar e padrão 3 – Maduro.
A partir do pré-teste, os pós-testes vem com o intuito de pesquisar em que padrão motor esses alunos se encontram a partir das aulas de educação física elaboradas e sistematizadas pelos acadêmicos pibidianos.
(Novembro)
Com base nos gráficos, foi apontado que as crianças do primeiro ano do Ensino fundamental I, seguindo a classificação do autor, indica o estágio que apresentou dificuldade nos três níveis dentro da metodologia desenvolvimentista.
22.
FOR PIBID SUL
O FOR PIBID Sul aconteceu na cidade de Lages – SC, na Universidade do Planalto Catarinense – UNIPLAC. O FOR PIBID Sul uniu acadêmicos do programa de diversas regiões do País, com o objetivo de socializar e oportunizar maiores conhecimentos aos bolsistas, supervisores e coordenadores do Programa. Os pibidianos puderam apresentar todo o trabalho desenvolvido durante o ano letivo e através da roda de conversa (modo de apresentação), também puderam aprender novas práticas através da exposição das vivências e conhecimentos dos demais pibidianos presentes da conversação.
(Dezembro)
Através do FOR PIBID Sul nós acadêmicos bolsistas pudemos aprender novos recursos e métodos para trabalhar na docência. Foi uma troca de conhecimentos e experiências que resultaram em um aprendizado amplo para os acadêmicos, que consequentemente será transmitido para nossos educandos em forma de aprimoramento nos métodos de ensino buscando sempre o desenvolvimento integral dos mesmos.




5. DESCRIÇÃO DA PRODUÇÃO EDUCACIONAL GERADA

5.1)      PRODUÇÕES DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS



1)      Tipo do produto:
a) Descrição do produto gerado (Max. 100 palavras):
O blog foi criado com o objetivo de divulgar as ações do projeto e oportunizar o acesso de profissionais da área da educação aos planos de atividades em Educação Física possíveis de serem desenvolvidas  em suas escolas.


Quantidade total
01


5.2.   PRODUÇÕES BIBLIOGRÁFICAS

1)      Tipo do produto: Apresentação de oficina

Elaboração de resumo: Mostra científica- Projeto de pesquisa: “Educação Física e as Habilidades motoras Básicas”.                                                                                                                                                   
Elaboração de resumo: Mostra científica – Projeto de Extensão: “Noite Feliz”                                                                           
Elaboração de resumo: FOR PIBID SUL- Oficina de Materiais didáticos
Quantidade total: 3


5.3) PRODUÇÕES ARTÍSTICO-CULTURAIS

1)   Tipo do produto: APRESENTAÇÃO DOS BOLSISTAS E ALUNOS NAS ESCOLAS

Apresentação musical através da banda marcial da escola pelos bolsistas envolvidos no projeto PIBID, em eventos tais como: desfile cívico, projeto brilho de natal e apresentações em outras escolas.
Garota e garoto Pinto Sombra
Quantidade total
04




6. DESCRIÇÃO DE IMPACTOS DAS AÇÕES/ATIVIDADES DO PROJETO NA: FORMAÇÃO DE PROFESSORES; LICENCIATURAS ENVOLVIDAS; EDUCAÇÃO BÁSICA; PÓS-GRADUAÇÃO e ESCOLAS PARTICIPANTES

No subprojeto da área de Educação Física pode-se perceber significativa mudança na prática pedagógica dos bolsistas, sendo que grande parte o grupo ao iniciar o projeto ainda não havia passado pela etapa do Estágio Curricular Obrigatório, pois eram ingressantes no curso superior. O período de observação na/da escola, fez com que compreendessem a realidade desse espaço, bem como a singularidade de cada aluno. Compreendemos que trabalhar o todo implica trabalhar as partes. A realidade escolar, o corpo docente, a sua gestão, sua representação junto à comunidade são fatores essenciais para a formação das crianças e jovens que a frequentam. Esta escola tem um papel social também muito importante para a comunidade, e assim os bolsistas passaram a participar de vários momentos comunitários dentro da escola, o que permitiu que contribuíssem com suas ações e assim se sentissem parte dela. Para os alunos bolsistas o processo de intervenção possibilitou/a a relação teoria/prática necessária ao processo de formação inicial.  O projeto permitiu a formação em serviço das professoras supervisoras, principalmente, em relação as atividades e objetivos claros e definidos para sua realização, bem como a segurança em apresentações para além da escola em eventos científicos e de capacitação dentro e fora da escola campo de intervenção. Dessa forma a prática docente foi/é entendida como processo constante de estudo, de ação consolidando a práxis pedagógica, o que traz um importante diferencial para a formação e prática docente dos licenciandos, além de possibilitar a compreensão da importância do trabalho coletivo. Os professores da escola por muitas vezes sentiram-se curiosos em relação ao projeto, solicitando que ele fosse ampliado para todas as turmas, e áreas do conhecimento.  Para a licenciatura em Educação Física da UNIPLAC, o PIBID é a realização de uma formação desejada, que proporcionou as reflexões possíveis acerca dos desafios da prática pedagógica comprometida com a qualidade do ensino público.


7. DIFICULDADES ENCONTRADAS E JUSTIFICATIVAS DE ATIVIDADES PREVISTAS E NÃO REALIZADAS


No caso do Subprojeto de Educação Física a maior dificuldade é o espaço físico para a realização das atividades, uma vez que há outros professores desenvolvendo suas aulas em dias e horários concomitantes. Também é possível apontar a insuficiência de tempo para a realização das atividades que foram agregadas ao grupo no trabalho na escola, pois trata-se de uma escola dinâmica que desenvolve projetos em todas as áreas do conhecimento.

09. CONSIDERAÇÕES FINAIS E PERSPECTIVAS

Foi  um ano de muito trabalho para o subprojeto PIBID Licenciatura em Educação Física e de muitos desafios, principalmente considerando a demanda de trabalho que o grupo participou e desenvolveu. Para tanto foi necessário ampla discussão e estudo. No entanto, os desafios foram superados na medida em que se apresentaram. A parceria estabelecida entre Universidade e escola foi  fundamental para que as ações desenvolvidas lograssem êxito e oportunizaram aos bolsistas a percepção de que na escola não basta cada um fazer a sua parte é necessário um envolvimento maior para que a Educação Física e a escola garantam a efetividade da prática pedagógica exitosa.

Lages, Julho de 2015.

                       Sadi Ricardo da Silva Bastos – Coordenador de Área

Anexos


Anexo 2



Anexo 4


Anexo 5


Anexo 6





Anexo 8



Anexo 9


Anexo 11



Anexo 12




Anexo 13




Anexo 15

Anexo 16

Anexo 18


Anexo 19


Anexo 21


Anexo 22