terça-feira, 17 de maio de 2016

Iniciação ao Handebol



Histórico
Atribui-se a invenção do handebol ao professor Karl Schelenz, da Escola Normal de Educação Física de Berlim, durante a Primeira Guerra Mundial.
No início, o handebol era praticado apenas por moças e as primeiras partidas foram realizadas nos arredores de Berlim. o desporto passou a ser praticado por homens e logo se espalhou por toda a Europa. Era disputado por duas equipes de onze jogadores cada, as partidas aconteciam em campos similares ao de futebol, sendo a bola semelhante à usada na versão de quadra. Hoje em dia a maioria dos jogadores pratica apenas o handebol de sete.
Em 1933 foi criada a federação alemã que, três anos depois, introduzia o handebol nos Jogos Olímpicos de Berlim. Em 1954, a FIH contava com 25 nações. No dia 26 de fevereiro de 1940, foi fundada, em São Paulo, a Federação Paulista de Handebol, mas o desporto já era praticado no Brasil desde 1930. Até 1950, a sede da FIH era na Suécia. Transferiu-se no ano seguinte para a Suíça.
A primeira vez que o handebol foi disputado em Jogos Olímpicos foi em 1936, depois foi retirado e voltou em 1972, já na sua nova versão (de 7 jogadores) e em 1976 o handebol feminino também passou a fazer parte dos Jogos Olímpicos.
Handebol no Brasil
O Handebol é praticado no Brasil desde o início do século XX, mas ele só foi reconhecido quando o esporte começou a ser difundido na Europa. Com a criação da Federação Paulista em 1940, vários outros estados começaram a estudar a criação de federações estaduais para representar o esporte e difundi-lo nas cidades do interior e também nas capitais.
O estado de São Paulo permaneceu por anos como sendo o principal foco do esporte nacional e basicamente tudo no Handebol girava em torno do estado. Até que em 1978, outros estados começaram a se organizar melhor no esporte e tiraram os paulistas “do poder”. 
Isso fez com que, no ano de 1979, fosse criada a Confederação Brasileira de Handebol. Isso fez com que a organização do Handebol brasileiro fosse tirada das mãos da Confederação Brasileira de Desportos, que na época, gerenciava todos os esportes brasileiros.
Depois da criação da CBHb, o esporte teve crescimento exponencial no Brasil, fazendo com que fosse criado um campeonato brasileiro para as mulheres e para os homens. O acontecimento de um campeonato brasileiro fez com que o país tivesse uma seleção brasileira forte, tanto no masculino, quanto no feminino.
Regras Básicas
Área do Gol
Fica entre a linha de fundo e a linha de 6m. Somente o goleiro pode permanecer na área de gol. O atacante que penetra essa área é castigado com um tiro livre; se for propositadamente e não tiver a posse da bola, será dado lance livre. O jogador que invadir a área de gol, depois de ter lançado a bola, não está sujeito a qualquer punição, desde que isso não resulte em prejuízo para a ação do adversário.
Goleiro / Gol
O goleiro é o único jogador que pode se deslocar para qualquer posição da quadra; é o único que pode parar ou rebater a bola com os pés (mas isso apenas na sua área), fora dela deve jogar como qualquer jogador de linha. Só sera considerado gol a bola que lançada regularmente ultrapasse inteiramente a linha de gol por, dentro da baliza
Manejo da Bola
É permitido lançar, bater, empurrar, socar, parar e pegar a bola, não importa de que maneira, com a ajuda das mãos, braços, cabeça, tronco, coxas e joelhos. Segurar a bola durante o máximo de três segundos, mesmo ela estando no chão. Fazer o máximo de três passos com a bola na mão. É proibido conduzir ou manejar a bola com os pés.
Comportamento Para com o adversário
Utilizar os braços ou as mãos para se apoderar da bola. Tirar a bola da mão do adversário com as mãos abertas, não importa de que lado. Bloquear o caminho ao adversário com o corpo. É proibido arrancar a bola do adversário com uma ou duas mãos, assim como bater com o punho na bola que o mesmo tem as mãos.
Tiro de meta
O tiro de meta é ordenado nos seguintes casos: quando, antes de ultrapassar a linha de fundo, a bola tenha sido tocada por um jogador da equipe atacante ou pelo goleiro da equipe defensora, estando este dentro da sua área de gol. O tiro de meta deve ser cobrado dentro da área do goleiro, e só ele poderá colocar a bola em jogo.
Bola ao chão
A bola ao chão é marcada quando, mantida a bola dentro da quadra e fora das áreas de goleiro, ocorrer: falta simultânea de jogadores das duas equipes; interrupção do jogo por qualquer motivo ou razão que não se caracterize como infração as regras.
Escanteio
O lance de escanteio é ordenado desde que a bola tocada pela equipe defensora ultrapasse a linha de fundo (sem que o goleiro desta tenha tocado na bola). O lance é executado no ponto de interseção da linha de fundo e a linha lateral, do lado onde a bola tenha saído.
Lance lateral
O lance lateral é ordenado desde que a bola tenha ultrapassado totalmente a linha lateral. Ao ser cobrado o jogador deverá manter um pé sobre a linha lateral e o outro fora da quadra, caso isto seje desrespeitado o árbitro poderá ordenar nova cobrança de lateral ou aplicar reversão, dando o direito da cobrança a equipe adversária.
Lance de 7m
Este lance apenas é ordenado com a execução de uma falta grave sobre o adversário; no momento da cobrança os jogadores da defesa e ataque deverão permanecer atrás da linha de 9m. O jogador que for cobrar deverá manter um pé fixo perante a linha de 7m, não podendo invadí-la ou mover este pé.
Punições
Cartão Amarelo
Serve para advertir qualquer atleta ou técnico. Aplicado em algumas faltas, por reclamações ou quando após uma falta o jogador não deixa a bola no lugar indicado, podendo variar com o critério de cada árbitro.
Dois Minutos: 
Este apenas é aplicado a jogadores. Quem receber esta punição deve permanecer fora da partida durante um período de dois minutos (que será controlado pelo cronometrista), e após podendo retornar ao jogo com permissão da mesa de arbitragem. Durante este período o time fica com um jogador a menos, esta punição é geralmente aplicada a faltas desnecessárias e a substituições incorretas.
Cartão Vermelho: (ou desqualificação) 
Ao ser aplicado um Cartão Vermelho o jogador deve retirar-se da quadra, não podendo nem permanecer no banco de reservas e nem voltar mais a partida. O time permanece durante dois minutos com um jogador a menos e após pode completar o time com outro jogador. (O jogador que receber mais que 3 "Dois Minutos" durante a partida é automaticamente desqualificado, sofrendo todo o processo acima descrito)
Exclusão
Este é um recurso extremo da arbitragem, utilizado apenas em casos de agressão física e verbal. O jogador que sofrer exclusão não pode voltar a quadra e nem se sentar no banco de reservas, e seu time permanece até o fim da partida com um jogador a menos. 


Empunhadura
A empunhadura é o fundamento mais importante do handebol, pois ela é a base para todos os outros fundamentos.
É a forma de segurar a bola de handebol com uma das mãos.
A mesma deve ser segura com as falanges distais dos cinco dedos abertos e com a palma da m ao em uma posição ligeiramente côncava.
Obs: os dedos devem abarcar a maior superfície possível da bola, os dedos devem exercer certa força (pressão) na bola para que ela esteja bem segura. Sendo que a pressão exercida pelos dedos polegar e mínimo é muito importante para o êxito da empunhadura.
Posição de Base
Braços pouco flexionados e tensos ou então flexionados demais; Pernas excessivamente separadas ou pouco separadas; Posicionar-se de frente para o adversário quando se está na defesa; Não manter o olhar na bola; 
Fundamento de Drible
6º ano
Os alunos serão divididos em duas filas indianas, e terão que ir quicando a bola até o cone e voltar, caminhado.
Logo poderão ir correndo, e a variação vem com o manejo de bola, nos zig-zag dos cones.
Em duplas deveram estar posicionados um de frente para o outro, deverão de deslocar quicando a bola dar a volta no colega, e retornar a posição inicial.
7º ano
Os alunos deveram correr quicando a bola pelas linhas da quadra, seguindo o comando do professor.
Em duplas os alunos deverão na estar posicionados na frente um do outro, um deles, o que estiver possuindo a bola, deverá sair correndo quicando a bola, quando estiver a mais ou menos 1m de distancia do companheiro passa a bola para ele, da a volta em torno dele, e pede a bola em movimento, recebe e sai quicando a bola novamente.

ano
Os alunos  em filas, deverão correr quicando a bola, desviando dos obstáculos.
O professor rola a bola no chão e o aluno tem que sair correndo pegá-la e dar a volta no cone quicando a bola.
Quicar duas bolas ao mesmo tempo.

9ºano
Em três filas, cada aluno deve driblar sua própria fila com a bola. Com bola os alunos devem chegar ao fim da fila, realizando passes e driblando os colegas, sem dar mais de três passos com a posse de bola.
 O professor poderá lançar a bola  para o aluno que estará, por sua vez, se deslocando na quadra, ao recebe-la o aluno deverá quicá-la e fazer o zig-zag nos cones.

Fundamento de Progressão (Ritmo Trifásico)

6º ano
Correr em passadas largas.
O professor pode desenhar as passadas, nas  5 posições que as usam, e fazer com que o aluno passe por todas elas.
O aluno lança a bola para cima, dar três passos esperar quicar , e  passa para o colega.

7º ano
O aluno recebe a bola caminhando, dá os três passos e passa para o colega.
O aluno quicando a bola pela quadra, faz o ritmo trifásico quando soar o apito do professor.

8º ano
Em três fila em frente ao gol, o aluno deverá passar a bola para o professor, dar o três passos, receber a bola novamente e tentar acertar o alvo dentro do gol, de diferentes posições na quadra.

9º ano
Em trios deverão se deslocar do centro da quadra até a linha de 9m, e fazer os três passos passar para o colega ao lado, quando chegar no terceiro, este por sua vez dá o três passos e tenta acertar o alvo dentro do gol.
Fundamento de Recepção

6º ano
Quicar a bola com força na frente do corpo, lançando-a no solo com a mão direita e recebendo com as duas. Repetir com a mão esquerda.
Lançar a bola à cima da cabeça. Girar o corpo e pega-la antes de tocar o solo.
Em duplas, um dos colegas ficam posicionados  a frente e afasta as pernas. Possuindo uma bola o colega que está atrás passa quicada para o colega que está na frente este segura com as duas mão e passa.
7º ano
O aluno segura a bola atrás do quadril e apenas com o pulo a joga para frente, e segura.
A mesma ideia do movimento anterior porém agora é pelo meio das perna, após a bola quicar no solo o aluno deve segurá-la e dar três passos caminhando.
8º ano
Em duplas um aluno passando a bola para o outro, o aluno que recebeu, fará os três passos para frente, e passará a bola novamente.
Em duplas o aluno receberá a bola saltando.
9º ano
Em deslocamento , os alunos deverão estar em duplas, e sair trocando passes pelo meio da quadra.
A mesma ideia da atividade anterior porém, deverão estar mais afastados na quadra.
Em duplas, possuindo duas bolas, de frente para o outro, o colega joga a bola para o alto, recebe a bola do outro aluno, devolve, e pega a bola antes que ela caia.

Fundamento de Passe

6º ano
Todos os alunos, livres pela quadra, com a bola na mão. Todos tentam passar a bola do jeito que sabem para o colega.
Em duplas de frente para o outro, possuindo uma bola, a bola é ‘arremessada’ por cima da cabeça (passe de ombro).
O exercício será realizado em duplas. Os jogadores devem se posicionar de frente, um para o outro, a uma distância de aproximadamente quatro metros. O aluno deve Realizar o passe acima do ombro para o outro jogador e recebê-la novamente com ambas as mãos.

7º ano
Posicionados de frente, um para o outro, a uma distância de aproximadamente quatro metros. O aluno deve Realizar o passe acima do ombro para o outro jogador e recebê-la novamente porém a bola deve quicar no solo antes de chegar no companheiro.
Do mesmo modo da atividade acima porém agora  a distância é maior, e o passes deve ser realiza com um salto.

8º ano
Em duplas, caminhando, o passe é realizado para o colega.
Ainda em duplas, o aluno sairá em velocidade e realizará o passe de ombro.
Correndo o aluno deverão passar para os seus companheiros a bola quicada.

9º ano
Em duplas, deveram estar voltado para frente do gol, e realizar o passe com um salto para o colega que estará um pouco mais a frente.
Existe uma brincadeira conhecida pelo atletas da modalidade como vai e volta, tralha o passe quicado. Essa brincadeira é em duplas , e um dos dois começa dando os tres passos assando a bola quicada e voltando p trás, o outro faz a mesma coisa.
Todos dispostos nas posições da quadra trocando passes, primeiro caminhando e no segundo momento correndo.

Fundamento de Arremesso

6º ano
Arremessando parado, o aluno arremessa da forma que sabe, ao poucos o professor vai corrigir braço e empunhadura.
O aluno vai quicando a bola pelo cone e tentar acertar os alvo dentro de gol, o limite será na linha de sete metros, e segue a regra do ritmo trifásico.

7º ano
O aluno vem quicando a bola entre os cones e sem sair do chão tenta acertar os ângulos. (arremesso de apoio).
A mesma ideia só que agora com um salto.

8º ano
Em duplas da lateral  da quadra, a bola é passada para o colega que estará no centro, este por sua vez, dará os três passos e fará um arremesso de apoio para o gol.
O mesmo se faz porém agora realizando a passada para o gol.

9º ano
Em duplas deverão ir passando a bola até a linha de nove metros, quando chegar a linha, quem estiver com a posse de bola deverá arremessar ara o gol com a progressão.
O professor jogará a bola rasteira para o aluno correr pegar a bola e ir para o arremesso, tentando acertar o alvo.
Todos  dispostos nas posições da quadra, deveram passar a bola, de ponta a ponto uma vez, quando ela voltar o ponta realiza o arremesso, depois o armador , e assim sucessivamente até chega no outro ponta.